Mulheres na construção

Descubra o que fazer quando a infiltração vem do telhado
4 de março de 2021
Verdades e Mentiras mais contadas sobre reformar
6 de abril de 2021

As mulheres fazem a diferença por onde passam e na construção civil não é diferente. Elas estão conquistando o seu espaço nessa área considerada tipicamente masculina e já são mais de 200 mil trabalhadoras atuando em todo o país.

Nós da JD Casa & Construção apoiamos a inclusão feminina e, em comemoração ao Mês da Mulher, tivemos uma conversa com a Lyra de Cássia Bonfim, arquiteta e urbanista que trabalha nessa área de construção há 10 anos.

Confira a entrevista da JD Casa & Construção (JD), com a Lyra de Cássia (LC)

JD: Atualmente, como você vê a participação feminina no cenário da construção civil?

LC: Atualmente a presença das mulheres na construção civil está se tornando cada vez maior, apesar de ser um setor dominado pelos homens. Existem muitas mulheres dispostas a enfrentar e vencer as desigualdades e o preconceito.

JD: Sobre a participação feminina neste cenário, quando você acha que ela começou a crescer mais e porque?

LC: A partir do momento em que as mulheres foram incentivadas no mercado da construção através de cursos profissionalizantes, e buscar por capacitação profissional começamos a ocupar mais postos de trabalho na construção civil.

JD: Por que você escolheu essa área de atuação?

LC: Tudo nasceu aqui na JD C&C entre um atendimento e outro com o cliente, onde sempre buscava identificar qual o planejamento e o que ele buscava para o espaço que iria ser reformado ou construído foi assim que acabei me apaixonando e acreditando na arquitetura, percebi que com ela é possível ter planejamento, segurança, economia, conforto e valorização do imóvel.

JD: Quais os maiores desafios enfrentados? Você teve que lidar com preconceitos?

LC: O meu maior desafio é ir além do projeto, pois existe um parâmetro e um processo para ser indicado para cada adequação da área na qual vai ser implantada a obra. O Preconceito existe e é uma realidade, mas não enfrentei essa experiência.

JD: Você acredita que as mulheres ainda têm muito a conquistar no mercado da construção ou acha que o reconhecimento profissional feminino já chegou ao seu ápice?

LC: O mercado apresenta muitas oportunidades para as mulheres, mas é preciso quebrar mais barreiras para aqueles locais que ainda resistem à presença feminina.

JD: O que você acha que poderia melhorar para uma maior participação feminina no mercado da construção?

LC: Por mais que as perspectivas de ascensão das mulheres na construção civil de fato existam, o preconceito de gênero deve ser quebrado. Pois existem muitas profissionais mulheres no mercado igualmente capacitadas, competentes, talentosas e que são capazes de ocupar as vagas de emprego no mercado da construção civil.